6 motivos para não abrir sua empresa em Miami

Fatores para não ancorar sua empresa num lugar e ficar a ver navios...


Eu amo Miami. Para passar férias, viajar com a família e fazer compras. Se eu pudesse, teria casa em Aventura e passaria por lá todas as pontes de feriados. É uma cidade super gostosa com um monte de atrações para fazer. É cheio de latino americanos e nem precisa fazer esforço pra falar inglês. Todo mundo entende o nosso portuñol e estão acostumados com os brasileiros.

Mas será que é o melhor lugar pra você começar o seu negócio fora do Brasil? Pragmaticamente, responda a estas 3 perguntas:

1. O seu negócio está voltado para logística, trading, negócios imobiliários, varejo, turismo ou entretenimento?

2. O seu produto ou serviço é voltado ao público latino americano ou terceira idade?

3. Você consegue captar clientes remotamente ou desenvolver seus negócios sem sair de casa?

Se você respondeu NÃO para todas as perguntas acima, melhor pensar duas vezes antes de abrir sua empresa em Miami. A revista Exame fez uma matéria excelente há duas semanas atrás sobre isso.

Por mais que seja uma cidade super agradável, com vôos diretos do Brasil e com clima próximo ao nosso, vamos pensar racionalmente sobre os desafios que você enfrentará se escolher a cidade como seu endereço internacional.


Captação de clientes

Miami é o 11ª. maior PIB dos EUA e tem quase 500 mil habitantes, ficando na 43ª. posição. Por que isso é importante? Quanto menos pessoas, menos empresas e menos empregos. Ou seja, você tem outras 40 opções antes de Miami para estudar como localizações do seu endereço internacional, como por exemplo: Nova Iorque, Chicago, Filadélfia, Boston, Atlanta, São Francisco, Seattle, Dallas, Houston, Phoenix, Columbus, etc. Olhando PIB e população, Miami é a Santos americana. Você abriria uma empresa em Santos?

Quando pensamos num local para internacionalizar, é importante buscar pólos onde você tenha uma base de potenciais clientes razoável para trabalhar. Se você tem uma empresa de tecnologia então, a cidade não entra na lista das 25 maiores clusters de tecnologia dos EUA. Veja o ranking oficial aqui.


Reputação

Miami é vista como uma cidade para férias ou aposentadoria pelos americanos. A percepção é de que não é uma cidade “séria” de workaholics que grita riqueza e liderança. Se um dos seus objetivos com a internacionalização é ter uma boa reputação e credibilidade junto aos seus clientes americanos, você precisa pensar quais endereços trariam essa relação direta à sua marca. Por exemplo: Palo Alto = TECH, NYC = Luxo, Moda, Serviços financeiros. É automático. O fato de você localizar sua operação num pólo reconhecido internacionalmente no setor que você atua, faz com que seus clientes associem seus produtos ou serviços com o que esses pólos oferecem. Pense nisso.


Mercado da Saudade

Um dos motivos mais comuns para estabelecimento de empresas brasileiras em Miami é justamente atender a comunidade de brasileiros locais. Por quê? As pessoas já conhecem seus produtos e serviços, a venda é mais fácil. Pode ser que sim, ou pode ser que não. Aqui é importante você olhar se tem algum concorrente local e em segundo lugar, se o seu preço seria competitivo nos EUA para que as pessoas quisesem comprá-lo. Aqui faço referência principalmente ao setor de alimentos e bebidas. Pense bem, porque você pagaria US$ 4,59 num Guaraná Antarctica de 2L, quando no Brasil ele custa R$ 6,99. Melhor trazer na mala, não é mesmo? Veja mais sobre isso no meu artigo da semana passada.


Mão de obra especializada

A qualificação dos profissionais que vão fazer o seu negócio dar certo no exterior é um dos fatores de sobrevivência ou morte da sua operação internacional. Dependendo da sua atividade e do perfil da operação que quer montar, é preciso ter certeza de que vai encontrar as competências necessárias para operação. Geralmente, rankings de universidades são um bom indicador para availiar disponibilidade de mão de obra local qualificada. A University of Miami ocupa o 46º. local no ranking nacional. Ainda não te convenci? Espera que tem mais...


Sazonalidade populacional

Para o varejo, a cidade é uma boa opção, mas a sazonalidade dos turistas exige que o empresário tenha um caixa para aguentar a baixa estação. Ainda assim, a cidade aparece em 11º. lugar no ranking das cidades para investimento em varejo dos EUA de acordo com o National Retail Index. De novo, há outras 10 cidades para entrar no seu radar no mercado americano...


Apoio do governo

A ApexBrasil tem um escritório em Miami, o Banco do Brasil tem agências locais, o StartOUT Brasil está capacitando 15 startups para visitarem Miami em Setembro deste ano e com certeza você já foi convidado para uma missão internacional para conhecer as oportunidades locais com apoio do Enterprise Florida. Todas as iniciativas são válidas, porque afinal, o governo também quer fomentar negócios entre os países.

Se você respondeu SIM para a pergunta número 1 deste artigo, use de todos os serviços que os governos te oferecem. Eles são extremamente úteis e ajudam muito. Eu já trabalhei com atração de investimento e faz parte do governo formentar a geração de emprego e renda local. Para isso que existem esses programas.

Mas eu vou te contar um segredo: o papel dessas agências é falar “Vem pra cá, aqui você vai se dar bem!”. E não, “na verdade, de acordo com o seu negócio, para a sua empresa era melhor você ir para outro lugar”. A agência defende o interesse do governo, que tem políticas públicas bem claras sobre onde ele quer investir o orçamento do contribuinte. Isso não tem nada a ver com querer que você ganhe mais dinheiro e faça sua empresa crescer. Em outras palavras: o governo tem as prioridades dele, que podem casar ou não com as suas. Seja pragmático com seu investimento na abertura da sua operação internacional.

Pode ser que você já tenha escolhido Miami, ou more lá a alguns anos e esteja extremamente feliz. Tenho certeza de que você avaliou bem o mercado e realmente existem negócios brasileiros prosperando a passos largos no local. Ou pode ser que sua empresa não esteja atingindo os resultados esperados, e nesse caso talvez adequado pensar numa re-localização.

Com esse artigo, eu quis alertar de que existe um Estados Unidos além de Miami que também está aí para ser conquistado. Internacionalização também precisa de um pouco de racionalidade. Na Sterna, desenhamos as estratégias de internacionalização que buscam maximizar os resultados para sua empresa, não dos governos. Escolheu outro destino nos EUA para começar sua operação internacional? Me conte aqui. Te vejo no mundo,





A Sterna é a primeira Boutique de Internacionalização do Brasil. Podemos de ajudar a abrir sua empresa no exterior. Vamos tomar um café? contato@sterna.co

89 visualizações